Navegaçăo / Notícias

 Noticias

Notícia de Sexta, 4 de Agosto de 2006
Brasil atingiu 5,75 milhões de e-consumidores no 1º semestre de 2006
De acordo com dados do e-bit, cresceu a participação da classe C nas vendas pela internet. Vendas, no período, chegaram a R$ 1,75 bi. O total de pessoas que já compraram pela internet no país cresceu para 5,75 milhões no primeiro semestre de 2006, em comparação com 3,9 milhões há um ano, de acordo com dados da consultoria e-bit, divulgados nesta terça-feira (01/08).  
A projeção é de que até o final de 2006 o país tenha 6,8 milhões de e-consumidores. Neste universo, a participação de internautas com renda inferior a mil reais cresceu de 6%, em 2001, para 8% neste ano. O mesmo vale para os compradores com renda de mil a 3 mil reais, que subiu de 32% para 37%, no mesmo período. Em contrapartida, os internautas com renda superior a 3 mil reais diminuíram sua participação no total.
 
Entre os fatores que motivaram a adesão da classe C às compras online estão o aumento da oferta de oferta de computadores populares a preços a acessíveis e financiados no mercado, o crescimento do acesso à banda larga, o aumento do acesso à internet em pontos públicos - como escolas e agências dos Correios - e a diminuição na percepção de risco das compras na web, segundo Paulo Guasti, diretor geral do e-bit. “Além disso, os esforços de internet banking têm popularizado a cultura de transações financeiras pela web no País”, enfatiza Manuel Matos, presidente da Câmara-e.net. 
Outro fator que influencia o aumento no número de compradores online é o amadurecimento de uma geração que cresceu familiarizada com a tecnologia e com a internet e portanto é mais propensa a comprar pela web. “Essa geração tem DNA digital”, brinca Guasti. A previsão da Câmara-e.Net é de que o número de compradores online cresça à taxa de média de 40% nos próximos cinco anos. Hoje, 85% das compras na web já são feitas por usuários de banda larga. “O horário de pico para o e-commerce é das 12h às 14h, horário de almoço nas empresas”, observa o diretor do e-bit. Ainda de acordo com Guasti, cerca de 1/3 dos 5,75 milhões de internautas que já compraram alguma vez pela web são compradores recorrentes (fizeram pelo menos três compras nos últimos seis meses).
 
Cerca de 25% das compras na web são motivadas por pesquisas em sistemas de busca e comparação de preços. O valor médio das compras na web brasileira é de 300 reais. Crescimento As vendas de bens de consumo na internet brasileira cresceram 79% no primeiro semestre de 2006, totalizando 1,75 bilhão de reais, conforme antecipado pelo IDG Now!. O volume superou a projeção inicial para o período, que era de 1,5 bilhão de reais, e foi puxado por um aumento da participação da classe C nas compras eletrônicas. 
Com o aumento na receita prevista para o primeiro semestre, a previsão para faturamento do e-commerce no ano foi revista para 4 bilhões de reais. Os dados do e-bit são referentes somente a vendas de bens de consumo na internet (excluindo serviços, automóveis e turismo) e são medidos por meio de cerca de 100 mil questionários respondidos mensalmente, pela web, no checkout das lojas eletrônicas.
 
Data: 02/08/2006
Fonte: IDG Now!
Link: IDG NOW
Por admin às 2h45

Voltar

 

2004 - Maio
2005 - Setembro
2006 - Janeiro
2006 - Fevereiro
2006 - Maio
2006 - Julho
2006 - Agosto
2006 - Outubro
2006 - Novembro
2007 - Fevereiro
2007 - Dezembro
2008 - Janeiro
2008 - Agosto
2009 - Janeiro
2009 - Fevereiro
2009 - Maio
2009 - Junho
2009 - Setembro
2010 - Janeiro
 




SEO - Search Engine Optimizers. Técnicas e Estratégias de Otimização de Sites.

© Copyright 2004 / 2014 - 3D Webstudio Internet Solutions ®. Todos os direitos reservados.
A reprodução total ou parcial de qualquer meio ou forma sem expressa autorização da 3D Webstudio é proibida. Leia nossa licença